Conheça as principais intervenções da Terapia do Esquema - Sinopsys Editora
1
Terapia do Esquema: conheça as principais intervenções

Terapia do Esquema: conheça as principais intervenções

02 de Julho de 2021

As intervenções da Terapia do Esquema atuam sobre as raízes dos esquemas desadaptativos normalmente resultantes de necessidades não atendidas na infância e que levam a padrões de comportamento disfuncionais ou autodestrutivos. Por sua proposta inovadora, aprimorada e integrada a outros conhecimentos já existentes, a TE vem despertando cada vez mais interesse na área da Psicologia.

Comumente utilizada em psicoterapia individual, a Terapia do Esquema também pode obter importantes resultados em grupo. É possível utilizá-la como mote central ou introduzir suas técnicas em algum momento do tratamento com outras abordagens psicológicas.

Além disso, pode ser associada ao tratamento psiquiátrico. Nesse caso, o ideal é que o paciente esteja com sintomas estabilizados para que a abordagem seja aproveitada, pois não é aconselhável que haja sinais psicóticos ou limitações cognitivas.


Terapia do esquema

FASES


As intervenções da Terapia do Esquema se organizam em duas fases. A primeira é a de avaliação do caso. Já a segunda é de mudança dos esquemas.

No primeiro momento, é construído o vínculo terapêutico, essencial para que o paciente se comprometa com o processo clínico. Essa etapa se baseia, principalmente, na teoria do apego e entende que um dos papéis do terapeuta é oferecer a afetividade e a segurança que fizeram falta na infância do indivíduo.

A partir desse vínculo, o terapeuta explica o modelo terapêutico e auxilia o paciente a identificar seus esquemas disfuncionais.

À medida que esses esquemas disfuncionais são identificados, também são investigadas suas origens e as estratégias que a pessoa usa para lidar com eles.

Para chegar nesses dados, podem ser utilizadas diversas técnicas psicológicas. Uma delas é o questionário de esquemas do psicoterapeuta norte-americano Jeffrey Young, criador da TE.

Outra técnica é a da tarefa de casa, tradicional na abordagem da Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC).


MODIFICAÇÃO


Na segunda etapa da Terapia do Esquema, a de modificação de esquemas, o objetivo é revivê-los dentro da clínica e possibilitar sua ressignificação a partir de modelos mais saudáveis de relacionamento.

Para isso, existem diversas estratégias, tais como vivências que deflagram o esquema na sessão terapêutica; condução de relatos e criação de imagens mentais; uso de recursos artísticos para evocar sentimentos ou reações; identificação de distorções cognitivas; intervenções que contradigam os esquemas; registro de pensamentos automáticos; e catarse emocional.


EFETIVIDADE


As intervenções da Terapia do Esquema têm demonstrado efetividade em problemas crônicos e resistentes a outras abordagens da Psicologia, entre eles, os transtornos de humor, de ansiedade ou de personalidade.

Em geral, pacientes com transtornos de personalidade não costumam procurar ajuda por conta própria, porque a maioria não percebe seus padrões disfuncionais. Assim, chegam à terapia por imposição de outras pessoas e frequentemente não aderem aos tratamentos convencionais.

Nesses casos, a Terapia do Esquema é uma boa alternativa, pois aborda os sintomas mais profundamente, compreendendo as relações inconscientes e proporcionando mudanças na estruturação psíquica. Ao fazer uso da TE, o terapeuta tem condições de ser mais flexível e responder melhor às necessidades do paciente.

Outra vantagem das intervenções da Terapia do Esquema é que elas aproveitam as contribuições de diversas abordagens da Psicologia. Portanto os terapeutas clínicos de diferentes campos podem fazer uso da TE para alcançarem resultados mais profundos com pacientes resistentes às técnicas tradicionais.


LIVRO


Para auxiliar no desenvolvimento do profissional que quer utilizar ou já utiliza a Terapia do Esquema no seu trabalho, o livro "Estudo de casos em Terapia do Esquema", publicado pela Sinopsys Editora, mostra de forma prática a aplicação dos conceitos e estruturas desse modelo teórico.

Direcionada a psicólogos e psicoterapeutas, a obra é de autoria das psicólogas brasileiras Natanna Taynara Schütz e Juliana Vieira Almeida Silva. Foi organizada com o objetivo de clarificar cada um dos cinco domínios de necessidades psicológicas das pessoas, incluindo a formação de esquemas desadaptativos em cada um deles, com estudo de casos que englobam o processo de avaliação e as intervenções utilizadas.

Outras do Blog

Tags

Terapia do Esquema, TE, Terapia Cognitivo-Comportamental, TCC

Mais

Vistos

Receba promoções
e lançamentos

Este site usa cookies

Nós armazenamos dados temporariamente para melhorar a sua experiência de navegação e recomendar conteúdo de seu interesse.
Ao utilizar nossos serviços, você concorda com nossos termos e condições.
     
Item adicionado ao seu carrinho, o que deseja fazer agora?