Internação involuntária de pacientes com anorexia nervosa em situações extremas pode salvar suas vidas? - Sinopsys Editora

0

Internação involuntária de pacientes com anorexia nervosa em situações extremas pode salvar suas vidas?

10 de Fevereiro de 2015

Internação involuntária de pacientes com anorexia nervosa em estado grave não é prejudicial para o seu processo de recuperação e alcança resultados positivos semelhantes aos de pacientes que foram internados voluntariamente. Isso de acordo com um novo estudo realizado pela Universidade de Haifa, em Israel. "Esta descoberta é muito importante e deve ser um marco para nova legislação permitindo o tratamento forçado de pessoas com anorexia cujas vidas estão em risco. O projeto de lei vai fazer a diferença entre a vida e a morte para esses pacientes", disse o Prof. Yael Latzer, da Faculdade de Assistência Social e Ciências da Saúde da Universidade de Haifa.

Anorexia nervosa afeta 0,5% a 1% das mulheres durante suas vidas, e cerca de um décimo deste número de homens, colocando a vida de pacientes em risco em casos graves da doença. Em casos extremos, o tribunal pode nomear um tutor, geralmente um dos pais, que pode concordar com a internação involuntária do paciente - um processo que resulta em poucos doentes efetivamente sendo hospitalizados à força, e mesmo assim eles podem deixar o tratamento após ter tido uma certa melhoria em sua condição.

O tratamento em casos extremos da doença requer a cooperação dos pacientes, e, sendo assim, um dos argumentos dos que se opõem à internação compulsória de pacientes com anorexia nervosa é que além da questão legal de liberdade de escolha, a internação involuntária seria um instrumento ineficaz que não vai melhorar as condições de saúde dos pacientes. Em fevereiro de 2012, foi encaminhado um projeto de lei que permite o tratamento compulsório dos pacientes com anorexia em condição de risco de vida, mas o processo legislativo foi interrompido com a mudança de gabinete e o projeto ficou parado.
No que diz respeito à questão constitucional, Latzer diz que anorexia é um problema mental grave e os pacientes com anorexia estão em um estado de desnutrição extrema. Esta condição é conhecida por prejudicar a capacidade cognitiva de pacientes para fazer julgamentos de si e de perceber corretamente a condição de risco de vida em que estão. Por isso, é muito importante ajudá-los a salvar as suas próprias vidas. 

No presente estudo, realizado pelo Prof. Latzer, os pesquisadores procuraram examinar as reclamações relativas à ineficácia da internação involuntária e examinar se há uma diferença nos resultados entre os pacientes em condição extrema que foram obrigados a ser hospitalizados e aqueles que foram hospitalizados por vontade própria. Para fazer isso, 79 pacientes foram examinados na última década. Vinte e oito deles foram hospitalizados involuntariamente pelos tribunais e 51 foram hospitalizados por sua livre e espontânea vontade. Os dados clínicos (índice de massa corporal, ou IMC, pressão arterial, pulso e mais) na admissão dos hospitalizados involuntariamente foram semelhantes aos internados voluntariamente.

O estudo mostrou que ambos, o tratamento obrigatório e o tratamento voluntário, levam ao mesmo resultado positivo. De acordo com os pesquisadores, apesar da relutância declarada para receber o tratamento das pessoas involuntariamente hospitalizadas, sua resposta ao tratamento foi boa. Além disso, verificou-se que o tratamento compulsório poderia reduzir sentimentos de culpa em pacientes em relação a receber o tratamento adequado e a nutrição de que necessitam. Constatou-se também que o tempo de internação para ambos os grupos foi semelhante, assim como foi a taxa de mortalidade. Da mesma forma, os pacientes de ambos os grupos ganharam peso em uma taxa semelhante e uma porcentagem similar juntou programas de reabilitação após ser liberado do hospital.

"Este estudo confirma pesquisas anteriores de que a recusa de pacientes para receber tratamento e sua percepção do transtorno alimentar pode mudar durante o tratamento, mesmo nos casos de o paciente receber tratamento contra a sua vontade inicial. Embora a internação forçada seja complicada para o paciente, sua família e os funcionários, às vezes é necessária, a fim de salvar a vida do paciente. É nosso dever como sociedade fornecer tratamento obrigatório para pacientes até que eles sejam, mais uma vez, capazes de fazer julgamentos por si", concluiu Latzer.

FONTE: University of Haifa. (2015, January 12). Involuntary hospitalization of patients with anorexia nervosa in extreme situations can save their lives. ScienceDaily. Retrieved January 13, 2015 from 
Outras do Blog

Tags

Doença, Pacientes, Anorexia, Tratamento, Terapia Cognitivo-Comportamental

Mais

Vistos

Saiba antes

de promoções

e lançamentos



Cursos

e Eventos

Minicurso Introdução à terapia do esquema

de 16/02/2024 até 24/02/2024 - Rua João de Almeida, 735 - Estoril, BH - MG

Ler mais Outros Eventos

Atendimento personalizado disponível de segunda a sábado das 8h às 18h(exceto feriados).

Este site usa cookies

Nós armazenamos dados temporariamente para melhorar a sua experiência de navegação e recomendar conteúdo de seu interesse.
Ao utilizar nossos serviços, você concorda com nossos termos e condições.
     
Item adicionado ao seu carrinho, o que deseja fazer agora?
Sinopsys Editora e Sistemas Eireli CNPJ: 10.740.484/0001-69