Sinopsys Editora - O que você sabe sobre burnout?
51 3066.3690 Horário de atendimento: De Seg a Sex das 8h30 às 18h, sem fechar ao meio dia (Exceto em feriados).

Produtos

O que você sabe sobre burnout?

26 de Junho de 2019

Você também deve ter percebido que, especialmente após a segunda metade do século XX, houve uma expansão das discussões e estudos sobre a relação entre adoecimento e trabalho, no campo da Psicologia. 

Sabemos que o trabalho e a necessidade de produtividade têm relação direta com a nossa saúde, autoestima e bem-estar. A atividade laboral não é motivada apenas pela nossa sobrevivência, mas também pela necessidade que temos de alcançar determinadas realizações pessoais, as quais beneficiam não apenas o indivíduo, mas sim toda a sociedade.

Por isso, tudo que interferir negativamente na relação positiva entre o homem e sua atividade profissional pode causar sofrimento, estresse e até doenças que impactem nos meios de produção. O estresse no trabalho está relacionado a altos níveis de fadiga, transtornos do sono, depressão e desequilíbrios na saúde física; estes desequilíbrios impactam na redução da qualidade dos serviços prestados (Benevides-Pereira, 2002; Santos, Sobrinho, & Barbosa, 2017).

"Quando o desequilíbrio entre as demandas elevadas do exercício profissional e os baixos recursos de enfrentamento do trabalhador geram uma condição prolongada ao estresse, caracterizada principalmente por desgaste psíquico, fisiológico e emocional, ocorre um estado de exaustão, conhecido como Síndrome de Burnout (SB)." (Santos et al., 2017).

Anelisa Vaz de Carvalho, organizadora do livro Terapia cognitivo-comportamental na síndrome de Burnout: contextualização e intervenções (Sinopsys, 2019) explica que o burnout (SB) pode ser entendido como"um problema social premente nos próximos anos devido à atual configuração do mundo do trabalho" pois questões como pressões competitivas, as variações nos contratos de trabalho, a maior instabilidade no emprego, o excesso de horas de trabalho, a contínua necessidade de aprimoramento diante do acelerado ritmo de mudança nas tecnologias e a desfocagem da linha que separa o trabalho e a vida pessoal/familiar são fatores que têm tido grande impacto na saúde mental dos trabalhadores (Shirom, Melamed, Toker, Berliner, & Shapira, 2005).

Todos estes fatores afetam a qualidade de vida do trabalhador e, consequentemente, os níveis de burnout em diferentes setores econômicos, elevando sua taxa de incidência e prevalência na população. A identificação de todas estas questões colaborou para que o burnout fosse incluído na lista de atualizações da nova edição do CID-11, que entrará em vigor em 2022, como um problema de estresse crônico associado ao trabalho. Afinal, entende-se que uma maior visibilidade e a associação a um problema no trabalho facilita a gestão de afastamentos e problemas laborais.

As três dimensões da Síndrome de Burnout

No prefácio do livro Terapia cognitivo-comportamental na síndrome de Burnout: contextualização e intervenções (2019, p.13-14), a Doutora em Psicologia Eliane Mary de Oliveira Falcone cita Maslach & Jackson (1981) para explicar que a SB é um fenômeno de três dimensões:

1. exaustão emocional - é desencadeada pelas exigências profissionais e identificada como a ausência de energia, sentimento de esgotamento dos recursos emocionais, bem como de frustração e de tensão pela percepção de incapacidade para o trabalho. 
2. despersonalização ou desumanização - identificada por sentimentos negativos e baixa sensibilidade emocional dirigidos aos clientes e colegas de trabalho, através de tratamento distante e impessoal. 
3. baixa realização profissional - caracterizada por uma tendência a avaliações negativas do próprio desempenho no trabalho, aliadas a sentimentos de insatisfação pessoal.

Considerando-se todas estas questões, fica clara a necessidade de os profissionais da Psicologia buscarem por mais informações e atualizações sobre o tema, assim como entender quais são as práticas mais apropriadas de prevenção e de intervenção da SB. Esse aprofundamento teórico-prático é importante não apenas para professores e pesquisadores da área, mas também a graduandos das áreas de saúde e empresarial interessados no tema.

Quer entender melhor o conceito, os dados de pesquisa e as implicações para a saúde de burnout? Clique aqui e baixe gratuitamente o primeiro capítulo do recém lançado Terapia cognitivo-comportamental na síndrome de Burnout: contextualização e intervenções.

Outras do Blog

Tags

burnout, psicologia, tcc, trabalho

Mais

Vistos

Saiba antes de promoções e lançamentos

Curso de Mindfulness para Regulação Emocional e Qualidade de Vida

de 05/09/2019 até 24/10/2019 - CEFI - Porto Alegre/RS

Ler mais Outros Eventos

51 3066.3690

Horário de atendimento:
De Seg a Sex das 8h30 às 18h,
sem fechar ao meio dia (Exceto em feriados).

copyright © 2019 Sinopsys Editora. Todos os direitos reservados Fradde Comunicação