Qual a origem das disfunções sexuais? - Sinopsys Editora
51 3600.6699 Horário de atendimento: De Seg a Sex das 8h às 23:59h, sem fechar ao meio-dia (Exceto em feriados).
Olá, Faça seu login

Informe seu e-mail para que uma nova senha seja enviada

Voltar
0
Carrinho
Produtos

0
Qual a origem das disfunções sexuais?

Qual a origem das disfunções sexuais?

06 de Abril de 2022

Há poucos estudos científicos que buscam investigar a origem precisa de cada uma das disfunções sexuais. É mais comum encontrar estudos que estabelecem associação entre o desenvolvimento delas e alguns fatores biológicos, psicológicos e sociais.

No passado, profissionais da saúde enxergavam a origem das disfunções sexuais estritamente ligada a fatores psicológicos, enraizada em conflitos internos ou em uma ansiedade muito profunda.

Atualmente, muitas pessoas que trabalham com sexualidade no ambiente médico encaram as disfunções sexuais como sendo resultado de fatores puramente biológicos, sem qualquer ligação com questões psicológicas.

A perspectiva científica contemporânea, no entanto, diz que a relação entre aspectos psicológicos e biológicos é complexa, difícil de distinguir e mais ainda difícil de investigar cientificamente.

Hoje já se sabe que o que ocorre na mente, psicologicamente falando, tem correlatos neuroquímicos e impactos no organismo, tornando a distinção ainda mais difícil. Isso leva à impressão de que, muito provavelmente, as disfunções sexuais são, na maioria dos casos, um combinado desses dois fatores.


CONDIÇÕES MÉDICAS


Várias condições médicas podem estar por trás do desenvolvimento de disfunções, o que inclui desequilíbrios hormonais, nódulos dolorosos, infecções nos órgãos genitais ou medicamentos que tenham como efeito colateral a diminuição do desejo sexual.

Os fatores orgânicos gerais comuns que afetam a função sexual incluem doenças crônicas, agentes farmacológicos, alterações endócrinas e uso excessivo de drogas.

Os andrógenos — hormônios que dão origem ao desenvolvimento de características tipicamente masculinas — desempenham um papel importante na libido de homens e mulheres.

Deficiências androgênicas podem resultar em hipopituitarismo, uma doença endócrina caracterizada pela diminuição da secreção de um ou mais dos oito hormônios normalmente produzidos pela glândula pituitária (hipófise) na base do cérebro.

Ainda, tanto o hipotireoidismo (condição na qual a glândula tireoide não produz a quantidade suficiente de hormônio da tireoide) quanto o hipertireoidismo (condição na qual a glândula tireoide é hiperativa e produz excesso de hormônios tireoidianos) podem estar associados às disfunções sexuais.

O estradiol é um hormônio sexual feminino predominante em mulheres que ajuda a manter a integridade do tecido da mucosa vaginal, promove a lubrificação e desempenha um papel importante na regulação da função sexual e na síntese de óxido nítrico na vagina e no clitóris. Ele também aumenta a oxigenação e a circulação de sangue na vagina. Níveis reduzidos dessa substância podem estar associados à redução do desejo sexual.

Após a menopausa, a lubrificação vaginal e o desejo e a frequência sexual diminuem, o que pode contribuir para o surgimento do transtorno da dor gênito-pélvica/penetração, com a ocorrência de vaginismo (contração involuntária dos músculos ao redor da abertura vaginal).

Já baixos níveis de testosterona (hormônio ligado ao desenvolvimento de características tipicamente masculinas) estão associados à diminuição de excitação sexual, libido, resposta sexual, sensação genital e orgasmo.


QUESTÕES PSICOLÓGICAS


Em termos psicológicos, pode estar envolvida uma variedade de fatores individuais, como depressão, ansiedade, medo, frustração, culpa, hipocondria e conflitos intrapsíquicos.

Fatores interpessoais e de relacionamento, como comunicação deficitária, conflitos, confiança diminuída, medo da intimidade e modelos de relacionamento ruins, também podem ajudar a explicar a origem das disfunções sexuais.

Além disso, é possível que haja influência de fatores psicossociais, como, por exemplo, aprendizado e atitudes negativas, ansiedade de desempenho, trauma sexual anterior, religiosidade restritiva e defesas intelectuais.

Assim como de fatores de comportamento sexual: déficits de habilidades e conhecimentos, expectativas irrealistas de desempenho etc.


LITERATURA


O que você precisa saber sobre disfunções sexuais e tem medo de perguntar
O livro "O que você precisa saber sobre disfunções sexuais e tem medo de perguntar", de autoria do psicólogo Ramiro Figueiredo Catelan e publicado pela Sinopsys Editora, tem como objetivo servir de instrumento educativo básico para pacientes, familiares e profissionais da saúde a respeito das disfunções sexuais.

Entre as perguntas respondidas na obra, constam o que são e qual a origem das disfunções sexuais; quais são os critérios utilizados para distinguir a resposta sexual normal da patológica; e o que se pode fazer para tratá-las?


O que você precisa saber sobre disfunções sexuais e tem medo de perguntar


O livro faz parte da coleção "O que você precisa saber sobre e tem medo de perguntar", que visa esclarecer aspectos relacionados a transtornos mentais para não especialistas. Caracteriza-se por sua linguagem clara, objetiva e acessível.

Coleção o que você precisa saber sobre
Outras do Blog

Tags

Disfunções sexuais, sexualidade, transtornos mentais, DSM-5, TCC, terapia cognitivo-comportamental, psicofarmacoterapia, psicoterapia

Mais

Vistos

Saiba antes de promoções e lançamentos



Curso de Formação em Terapia do Esquema

de 28/01/2022 até 28/01/2023 - On-line e ao vivo no ZOOM.

Ler mais Outros Eventos

51 3600.6699

Horário de atendimento:
De Seg a Sex das 8h30 às 18h,
sem fechar ao meio dia (Exceto em feriados).

copyright © 2020 Sinopsys Editora. Todos os direitos reservados